Berenice tenta disfarçar, mas Gabi a pressiona para que a vizinha possa revelar onde mora Daniel.

- Gabi, minha menina! Eu não sei muita coisa a respeito do seu pai, mas se é da sua vontade procura-lo, eu respeito e a única coisa que posso falar de coração é que ele mora no Rio de Janeiro, numa cidade chamada São João de Meriti. Ele é casado e tem um filho.

- Sabe pelo menos o sobrenome dele?

- Deixa eu lembrar, Gabi! – Diz a vizinha, tentando recordar das conversas que teve com a Constanza.

Gabi tenta manter a paciência enquanto aguarda Berenice se lembrar.

- Não é um sobrenome difícil, mas me fugiu da memória por um instante. Eu vou lembrar, minha menina.

- Espero! Procurar Daniel no Rio de Janeiro é como procurar uma agulha no palheiro. Vai ser muito complicado. – Diz a jovem, desanimada.

- Eu sinto muito, Gabi. Queria ajuda-la.

- Eu agradeço. Vou voltar pra casa e tentar pensar um pouco. Quem sabe, não tenho sorte de achar algo nos guardados de minha vó.

- Sim, Gabi. Pode ser uma boa chance de encontrar algo. – Diz a senhora, torcendo.

 

Chegando em casa, a jovem Gabi dá uma vasculhada em todas as coisas no quarto de sua avó e acaba encontrando uma caixa cheia de documentos, fotos e matérias de jornais recortadas. Ela se surpreende com tamanhas revelações do passado. Descobrir quem foi sua mãe no passado trazia à tona verdades desconhecidas.

“Minha mãe foi presa por cometer um assassinato.”

Junto com um monte de coisas, havia um bloco de anotações e por ali, ela descobre um número de telefone e um endereço e abaixo estava escrito o nome de Daniel.

A jovem fica animada por ter conseguido o que procurava, mas quando pega o telefone e disca o número pra ligar, fica receosa.

“Será que devo ligar? Vó, como eu queria que você me desse um conselho.”

Menina Telefonando

Longe dali no Rio de Janeiro, Pedro participa de um campeonato de natação e acaba vencendo, ficando em primeiro lugar, deixando os pais orgulhosos e felizes. O rapaz agradece pelo carinho de todos que torceram pra ele e parabeniza seus rivais de prova, demonstrando seu sentimento de humildade. Gisele comemora ao lado do marido, que se emociona com a atuação do filho.

- Nosso filho é o nosso maior orgulho! – Diz Gisele, feliz.

- Sempre! – Ele responde, feliz. – Nosso filho é uma dádiva. Ele sabe nos fazer chorar em certos momentos.

Pedro se aproxima dos dois e lhe dá um abraço forte, dizendo que os ama muito.

- Agora, que você é um campeão, está na hora de comemorar em casa. – Diz o pai.

- Com certeza. – Se alegra o filho.

- Todos os nossos amigos vão estar lá, inclusive Grace e Murilo. – Avisa Gisele.

- Grace e Murilo? Eles já chegaram ao Rio?

- Claro que sim! – Responde ela, feliz fazendo o marido sorrir.

Nesse momento, o celular de Daniel toca e ele vê na tela uma chamada desconhecida, oriunda de São Paulo.

- Não pretende atender? – Pergunta Gisele, curiosa.

- Estranho. Não reconheço o número.

- Atende. Pode ser do trabalho. – Se preocupa Gisele.

- Deve ser sim. – Diz ele, que atende a ligação antes que a chamada se perca. – Alô!

Do outro lado da linha, Gabi sente uma coisa estranha ao ouvir a voz do pai, que nem conhece pessoalmente e fica sem saber o que dizer.

- Alô! Quem é? – Pergunta Daniel, intrigado ao telefone.

Gabi desliga rapidamente o telefone.

- Quem é amor que te ligou? – Pergunta Gisele, estranhando, enquanto o filho fica abraçado nela.

- Eu não sei. Ligou e não falou. Simplesmente desligou na minha cara. – Diz Daniel, intrigado.

- Isso é trote, amor. Acontece muito.

- Se importa com isso, não meu pai. – Diz Pedro.

- Isso aí! Vamos pra casa! – Diz Daniel, mudando de assunto.

 

Os amigos de Gisele e Daniel aguardam Pedro chegar em casa pra comemorar a vitória dele no campeonato de natação. Assim que o rapaz chega em casa, o pessoal começa a parabenizá-lo pela prova. Pedro agradece o carinho de todos e cumprimenta cada um. Gisele e Daniel também agradecem pelo carinho dos amigos e um dos convidados pede para um dj tocar um som. Pedro curte a festa organizada pra ele e se diverte.

Murilo se aproxima de Daniel e os dois se abraçam e Gisele se impressiona com a gravidez de Grace.

- Já escolheu o nome do bebê?

- Sim, amiga. – Diz Grace, sorrindo.

- Diga! Estamos curiosos, né amor – Brinca Gisele, piscando o olho para o marido que sorri também.

- Voces são demais. – Comenta Murilo, fazendo a conversa ficar mais descontraída.

- Gisele é curiosa pra caramba, mas vou contar o nome que escolhemos. – Decide revelar Grace, para alegria dos amigos. – Eu e o Murilo decidimos que vai se chamar Gérson.

- Então, é um menino! Olha, Daniel que legal! – Cutuca Gisele em Daniel.

- Muito bacana mesmo. Meus parabéns, Grace e Murilo! – Diz Daniel.

- A gente é que agradece a vocês pelo carinho que sempre tiveram conosco. – Diz Grace.

- Somos amigos, Grace e nossa amizade vai durar pra sempre. – Diz Gisele, contente.

 

Enquanto isso, Gabi pensa muito na ideia de encontrar Daniel e fica observando a foto de Maria em cima da cômoda.

“Espero que você entenda meus motivos. Preciso falar com ele, conhece-lo!”

A campainha toca e ela decide atender.

Era Berenice.

- Fiquei preocupada contigo e vim vê-la.

- Estou bem. Eu consegui achar o endereço do Daniel.

- Que bom, minha menina. Desculpe não poder ajuda-la.

- Sem problemas. Agora, preciso organizar algumas coisas antes de viajar.

- Gabi, eu espero que você consiga se aproximar do seu pai e que ele não te rejeite, afinal você é filha de Maria e pelo que sua avó me falava, o relacionamento dos dois não ia bem.

- Não se preocupa com isso. Sei me cuidar. Eu também descobri coisas da minha mãe, que minha avó nunca teve coragem de dizer. Agora entendo tudo. Ela cometeu erros, mas eu sou filha dela e apesar de não concordar, eu não posso julgá-la.

- Entendo. – Diz Berenice. – Sua avó te preservava bastante, em relação a esse assunto.

- Agora tudo o que mais quero é conhecer Daniel, meu pai. Preciso encará-lo de frente!

Postar um comentário

Agradeço pela sua mensagem.

 
Top